Óleo do Motor diminui o desgaste e aumenta a vida útil do motor.

Além de lubrificar, reduzindo o atrito e diminuindo o desgaste dos componentes internos do motor, o Óleo do Motor atua:

  • Refrigerando, evitando a fusão interna do motor;
  • Transmitindo energia mecânica;
  • Como função detergente, limpando o motor.

 

Internamente, podem surgir borras que ocasionam entupimento e travamento do motor, quando forem sugadas pelo pescador de óleo localizado no cárter e direcionadas para dutos de condução de óleo para lubrificação do motor. Os motivos mais comuns para surgimento dessas borras são:

  • Utilização de óleo com especificação inferior ao recomendado pelo fabricante, gerando oxidação precoce do lubrificante.

 

  • Combustíveis adulterados, pois normalmente subprodutos da queima do combustível contaminam o óleo do motor, mas se o combustível for adulterado com produto que contenha algum composto de resina pode ocorrer formação de borra no cárter.

 

  • Troca fora do prazo recomendado pelo fabricante do óleo do motor, porém deve-se também considerar a troca na metade do prazo ou da quilometragem recomendada em situações severas de uso do veículo (utilização em percursos pequenos do tipo anda e para ou em estradas de chão); ou seja, se o recomendado pelo fabricante é a troca de óleo com seis meses ou com 10.000 km, nesses casos isso pode ser feito com três meses ou 5.000 km, considerando-se o que ocorrer primeiro.

 

  • Aditivação extra no óleo do motor. Lubrificantes de qualidade já recebem aditivos de forma balanceada.

Abaixo, seguem sugestões para conservação do motor de seu veículo: 

Verifique o nível do óleo semanalmente. Com o motor frio, preferencialmente pela manhã antes da primeira partida e com o veículo em piso nivelado, retire a vareta do óleo, limpe-a com um pano ou papel e insira e retire-a novamente.

O nível de óleo deve estar entre as marcas “Mínimo” e “Máximo” gravadas nela.

Se o nível do óleo estiver acima do normal verificado normalmente, pode ter ocorrido acréscimo em excesso de lubrificante no motor ou mistura de água por possível rompimento da junta do cabeçote do motor. No último caso, recomenda-se não ligar o veículo, pois a lubrificação no motor estará prejudicada em função da água. No primeiro caso, o excesso de óleo poderá ocasionar contaminação das velas de ignição.

Se necessário, complete com o óleo de mesma marca e/ou recomendado pelo fabricante.

A maioria dos fabricantes considera normal o consumo de até um litro de óleo para cada 1.000 km rodados, pois mesmo o motor sendo vedado, uma parte do óleo fica nas paredes dos pistões e é queimada em função das altas temperaturas internas na câmara de combustão (em torno de 1.200 graus)